Recebi este texto de Marinela Coelho, viúva de Manuel Serra, com pedido de publicação neste blogue e no Entre as brumas da memória. Não esquecerei a força e o sorriso que nunca a largaram, nem depois do fim. Joana Lopes

 
Obrigada, em meu nome e do Manel Serra, a todos os amigos, companheiros, camaradas e também às pessoas anónimas que o admiravam, que nos acompanharam nesta hora triste que é a da partida.

Prestou-se tributo a um lutador que em toda a sua vida nunca abdicou, nem nas horas mais perversas de antes e depois do 25 de Abril, dos seus princípios políticos, ideológicos, morais e cristãos.

Que seja lembrado, enquanto houver memória!
Marinela