Continuamos a publicação de cópias que nos foram enviadas, de algumas mensagens endereçadas à GEF, empresa imobiliária responsável pelo prédio da R.António Maria Cardoso. Escreva também para gef[arroba]gef.pt e envie-nos cópia para o email deste blogue: caminhosdamemoria[arroba]gmail.com.

 
Exmos. Senhores,

Na sequência da notícia sobre a forma como a vossa empresa tratou o compromisso, estabelecido com o movimento «Não Apaguem a Memória!», de manter, no prédio da Rua António Maria Cardoso que foi sede da antiga PIDE-DGS, a placa evocativa das últimas vítimas da corporação que serviu de braço repressivo ao regime autoritário derrubado em Abril de 1974, venho exprimir o meu mais veemente protesto pela decisão de colocarem em local praticamente imperceptível a referida placa. Para além de uma grande falta de respeito para com a memória de pessoas que sofreram ou deram a vida pela democracia, esta atitude traduz também um claro menosprezo pela essência de um regime democrático que permite hoje, justamente a empresas como a vossa, exercerem a sua actividade num país sem medo e, para muitos, com uma qualidade de vida sem a qual a actividade imobiliária e de lazer que invocam seria impossível.
Aguardando atentamente que o compromisso seja honrado, envio os meus cumprimentos.
Rui Bebiano

 
Ex.os Senhores.

Acordei tarde para este problema, quando o vosso condomínio de luxo está pronto, ou poderia ter sido o último combate da minha vida, mas tudo faria para que não existisse.
Agora é facto consumado e ainda assim escondem não só o passado mas uma mísera placa que tenta recordá-lo. Reponham-na onde estava ou terão muitos amargos de boca.
Cumprimentos
Teresa Salvaterra

Anúncios