raul solnado

«As ruas ficavam vazias. As casas de espectáculos sem público. Pela primeira vez, um programa de televisão marcava a agenda das conversas dos portugueses. Aconteceu durante o segundo semestre de 1969. Em plena “primavera marcelista”. Nunca antes a televisão entusiasmara assim os portugueses. Nunca mais a televisão foi capaz de se aproximar dos píncaros a que se alcandorou e onde permaneceu durante trinta e duas semanas. Zip-Zip, o programa que Raul Somado, Carlos Cruz e Fialho Gouveia mantiveram “no ar” entre Maio e Dezembro deRaul Solnado, a vida não se perdeu 1969, na RTP, fez então e continua a fazer ainda hoje a unanimidade entre os críticos e entre os espectadores de televisão.»

De um artifgo de Adelino Gomes, ZIP-ZIP: Os sete meses que marcaram a televisão em Portugal , de 20/10/20032, retomado hoje pelo Público.

 
A Guerra de 1908:

 
P.S. – Um outro artigo, este de Alexandra Lucas Coelho, Raul Solnado, a vida não se perdeu.

Anúncios