Aljube

No passado dia 25 de Abril, foi celebrado um Protocolo entre os Ministérios das Finanças e da Justiça, pelo qual a Câmara Municipal de Lisboa assumiu a posse da antiga cadeia do Aljube, onde virá a ser sediado o futuro Museu Municipal dedicado à República, Resistência e Liberdade.

No mesmo dia, foi assinado um segundo Protocolo, desta vez entre o Município de Lisboa e o Associação Movimento Cívico Não Apaguem a Memória (NAM), cujo texto se divulga na íntegra e do qual se destaca:

«- Em concordância com esse empenho na salvaguarda da memória, nomeadamente através da dignificação daqueles locais cujos nomes foram sinónimos de opressão, de brutalidade e também de heróica resistência, a Câmara Municipal de Lisboa assumiu o compromisso de colaborar na produção de um Memorial às vítimas da ex – PIDE/DGS;

– Simultaneamente, o NAM, em parceria com o Instituto de História Contemporânea da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa e do Arquivo e Biblioteca da Fundação Mário Soares, propõe a realização no espaço do Aljube, entre 25 de Abril de 2010 e 25 de Abril de 2011, da exposição “A Voz das Vítimas”, integrada nas Comemorações do Centenário da República;

– Competindo à Câmara Municipal de Lisboa fomentar e apoiar, pelos meios adequados, as actividades desenvolvidas no domínio social e cultural, a realização da exposição “A Voz das Vítimas” reveste-se de manifesto interesse municipal porquanto contribui de forma significativa para a reflexão e a divulgação dos valores da República, da memória da resistência à ditadura e da liberdade conquistada em 25 de Abril de 1974;»

Protocolo CML - NAM sobre Aljube

Anúncios